29/08/2011

BR'11: Vencendo o Bicampeão da Recopa

Um jogo com "Cara de Grêmio", assim podemos resumir a apresentação da equipe tricolor diante do arqui-rival, o Internacional, recém bicampeão da Recopa Sul-Americana diante do decadente Independiente da Argentina. O jogo contou com o controle gremista em tempo integral, o ataque pecou muito, mas a defesa se superou.

Quem vê o placar com apenas um gol de diferença pode pensar que foi difícil, mas a verdade é que, se não fosse os erros grosseiros da arbitragem que não marcou dois pênaltis claros para nós, o jogo teria terminado, muito possivelmente, 4x1, ao natural. Às vezes a Alma Castelhana se apresenta, pena que só às vezes.


Primeiro tempo

Foto: Fernando Gomes/ClicRBS
O começo de jogo foi equilibrado, se por um lado o Internacional tinha o controle da bola, por outro o Grêmio era quem mais levava perigo. Parece uma inverdade, mas nesse Gre-Nal os papeis, vermelho e azul, mudavam de lado. O Time celeste tradicionalmente mais defensivo e de futebol feio, assumia o papel do time colorado, ofensivo e com futebol elegante.

Assim chegavam os donos da casa pela primeira vez, aos 10 minutos, Índio errou na defesa e na confusão André Lima quase marcou, mas Muriel ficou com a bola. Seis minutos depois, na pressão, o Imortal conseguiu abrir o marcador, Marquinhos recebeu o cruzamento na medida de Mário Fernandes e estufou as redes do rival. O Grêmio, desacreditado, impressionava mais uma vez a todos.

Com uma atuação impecável, a zaga gremista não deixava Leandro Damião jogar e na frente o time assustava os vermelhos constantemente, principalmente depois do gol que deixou turbulenta a partida para os lados de lá.

Mesmo com as dificuldades eles chegaram ao empate. Como nós em diversos clássicos, o rival só conseguiu o gol em bola parada. Aos 26 minutos, Oscar cobrou falta cometida em Andrezinho, a bola foi direto no algoz gremista, Índio, que mandou de cabeça para dentro da meta de Victor. O resultado era injusto pelo que as equipes haviam produzido, como ficou nítido, éramos nós que deveríamos estar ganhando.

Foto: Diego Guichard/ClicRBS
Logo depois do gol visitante, penalidade para os donos da casa, em uma jogada temerária, Saimon foi derrubado dentro da área, o juiz mandou o jogo seguir, era o primeiro grande erro da arbitragem. Curiosamente, o Rio Grande do Sul foi, juntamente com Minas Gerais, um dos dois estados que NÃO teve arbitro local apitando o clássico, estranho né?

Aos 31 minutos o Grêmio chegou novamente, Marquinhos mandou boa bola para Escudero, o argentino cruzou para Fernando que só não finalizou porque Tinga conseguiu desarmá-lo. Dois minutos depois, Júlio César passou para André Lima que cabeceou com perigo e, aos 37, um dos últimos lances de ataque mandante, novamente com o lateral esquerdo, sem grandes consequências.


Segundo tempo

Foto: Mauro Vieira/ClicRBS
Na segunda etapa o jogo ficou mais truncado. Somente aos 13 minutos chegávamos ao ataque pela primeira vez, Mário Fernandes recebeu ótima bola de Escudero e foi derrubado por Muriel dentro da área, mas o juiz não só ignorou descaradamente a penalidade como também puniu o jogador. Se nossa Direção fosse profissional, já estaria entrado com uma reclamação na CBF sobre a atuação da arbitragem na partida.

Só dava Grêmio e, aos 15 minutos, André Lima quase conseguiu roubar a bola, que deixaria o centroavante na cara do gol. Aos 21 minutos os colorados ensaiaram uma resposta, Oscar se livrou da marcação e mandou uma bomba, mas Victor, seguro, espalmou.

Foto: Mauro Vieira/ClicRBS
Era prenunciado quem deveria vencer o clássico, só o carioca Marcelo de Lima Henrique era quem não via. Bem, não viu até o terceiro e menos pênalti da partida, não que não tenha o sido, mas, em comparação com os demais, foi o menos clamoroso. Aos 32 minutos Escudero foi derrubado por Índio dentro da área, o árbitro (por seu emprego em risco) não pode ignorar e marcou. Na cobrança Douglas colocou o Imortal na frente novamente.

Era o fim do clássico que, se tivesse que ter tido o quarto gol, seria marcado pelo Tricolor, que, mesmo com a vitória na mão, continuava levando mais perigo que o rival. Quem diria, Grêmio e Celso Roth indo contra suas próprias naturezas, é o enigma chamado Futebol.



FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 2 X 1 INTERNACIONAL
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Data: 28 de agosto de 2011, domingo
Horário: 16 horas(de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Júlio César Santos (RS)
Cartões amarelos: Fábio Rochemback e Mário Fernandes (Grêmio); Dellatorre, Índio, Jô, Bolívar e Elton (Inter);
GOLS: Marquinhos, aos 16 minutos do primeiro tempo, Índio, aos 26 minutos do primeiro tempo e Douglas, aos 33 minutos do segundo tempo;
GRÊMIO: Victor; Mário Fernandes, Vilson, Saimon e Julio Cesar; Fábio Rochemback, Fernando, Marquinhos (Leandro), Douglas e Escudero (Willian Magrão) (Edcarlos) ; André Lima
Técnico: Celso Roth
INTERNACIONAL: Muriel; Glaydson, Bolívar, Índio e Kleber (Juan); Elton, Tinga (Ilsinho), Andrezinho e Oscar; Dellatorre e Leandro Damião (Jô)
Técnico: Dorival Júnior


 

Resultado/Próximo jogo

Com o resultado do clássico, estamos na 15ª posição com 21 pontos. Conseguimos nos afastar 3 pontos da zona de rebaixamento e, de quebra, deixamos o rival mais longe da zona da Libertadores. Estamos com um jogo a menos, a partida contra o Santos que será disputada no próximo mês no Olímpico, em caso de vitória podemos somar agora 24 pontos, o que nos deixaria com apenas 3 pontos a menos que o Internacional, em uma demonstração de que não estamos tão mal assim.

Nossa próxima partida é dia 31 de agosto, quarta feira contra o Corinthians. O jogo será às 18h no estádio Pacaembu e, se repetirmos o resultado de 2010 de perder para o clube paulista em casa e vencer fora, poderemos dar um salto na classificação.


Vídeo:


0 comentários:

Postar um comentário

Web Page Traffic Counters

Visitantes desde 26/11/2011