25/08/2011

MATUTADO: Eu sei o que nos falta


Ontem todos sabem o que aconteceu, o Internacional copou novamente. Enquanto isso nos lados da Azenha estamos com um lugar vago para uma taça desde 2001, um memorial como o nosso, o mais moderno da América Latina, somente com conquistas da década passada para trás, é triste. Se considerarmos que conquista mesmo é Campeonato Brasileiro para cima, estamos a mais de 14 anos sem guardar um grande título.

O Inter disputou de 2005 para cá, TODOS OS ANOS um título. Em 2005 foi roubado no Brasileirão, em 2006 foi campeão da América e do Mundo, em 2007 levou a primeira Recopa, em 2008 a Sul-Americana, em 2009 ficou com o vice brasileiro, em 2010 mais uma Libertadores e em 2011 a segunda Recopa. Um clube que revelou SEMPRE um grande jogador por ano e vendeu AO MENOS UM a preço de ouro.

Mas o que falta para nós, muito mais conhecidos e com uma história muito mais rica, sem falar em estrutura e torcida, termos um resultado parecido ou, pelo menos, não vexatório diante dos recentes sucessos do rival? Simples, PROFISSIONALISMO. Chega de pagar 70 mil para um ignorante gerenciar o clube, chega de gastar mal e muito, chega de abandonar a base do clube, chega de pensar só na ARENA DA OAS.

Odone tentou trazer Rodrigo Caetano no começo do ano e, como sempre, não teve sucesso, foi só. Não há qualquer movimentação do clube no quesito PROFISSIONALIZAÇÃO, isso é demasiadamente preocupante. Quanto tempo faz que não vendemos alguém com o vulto que o rival vende? O que nos falta? Jogador? Não, nos falta um profissional capaz de ler o mercado, trabalhar com valores, conhecer e ENTENDER sobre negócios.

Pode ser que muitos não recordem, até nem tenham visto, mas na gestão de Duda Kroef foi veiculada no site gremista uma campanha de páscoa que dizia o seguinte trecho: "para quem acredita em coelho da páscoa e imortalidade". Isso é, sem dúvida, um amadorismo tremendo do marketing tricolor, mas não para por ai, existem outros absurdos que o setor faz e TODO MUNDO NOTA.

Odone, Duda, Koff, Guerreiro, Obino, Cacalo e afins, não importa a época, todos erram no mesmo quesito e ajudaram a afundar o clube. Alguns levantaram a instituição com títulos, outros a encheram de dívidas, mas TODOS são culpados por não pensar naquilo que o lado vermelho pensa faz muito tempo, se PROFISSIONALIZAR.


6 comentários:

Báh velho... disse tudo e mais um pouco agora, infelismente o markenting e o atual momento administrativo e financeiro do nosso rival esta dando de 10 x 0 em nos, é uma pena, mas sinceramente não tenho qualquer espectativa de que isso vá mudar tão cedo, (e acho que vcs tambem) se é que vai mudar um dia com esses AMADORES sempre concorendo e ganhando, pelo geito estar para nascer ainda quem vai conseguir derrubar essa panelinha que há la dentro do nosso glorioso.

somos nós que votamos nessas naba e na proxima eleiçao vamos ter que tirar esses lixos do Grêmio!

Verdade, mas vendo pelo lado bom, pelo menos agora finalmente temos um rival a altura, vai ser difícil eles nos superar, mas até 2006 não eram ninguém, e esse ninguém era o nosso rival histórico.
Agora temos um rival histórico de verdade, era o que faltava na nossa gloriosa história/currículo!

Mas só não entendi uma coisa: a que sentido da palavra profissionalizar você se refere? Profissionalizar de que maneira? Perdoe minha ignorância, mas essa eu não entendi bem. Se puder falar mais sobre isso, agradeço!

Bom dia gremistas! A profissionalização passaria por tratar a Instituição Grêmio como uma empresa, contratar não torcedores, mas profissionais de ponta.

Ex.: Na administração teve ter profissionais formados na área, o mesmo para o marketing; o conselho fiscal deveria contar com mais técnicos que tem hoje; o clube deveria ter mais olheiros, não em campos de futebol profissional estritamente, mas em campos de várzea também; os jogadores deveriam ser negociados por pessoas qualificadas em negócios, não pelo presidente; o CT deveria ter mais independência do clube, ser tratado como uma filial e não como uma extensão; os prazos e contratos deveriam ser meticulosamente controlados e analisados; o clube deveria contratar por competência e não por afinidade, torcida ou grupo político (porque não trazer o Aodi Cunha para o Tricolor?); não deveríamos entrar em uma briga para perder (como no caso Ronaldinho); os contratos deveriam ser feitos sigilosamente, como é feito em grandes empresas (como lá não vaza as informações?).

Portanto são várias coisas, mas todas, sem exceção, passam por tratar o Imortal como instituição com fins lucrativos (por mais que não seja), empresa com metas e objetivos que DEVEM ser cumpridos, títulos devem ser encarados não como OBJETIVOS, mas como CONSEQUENCIA do trabalho. Objetivo deve ser aumentar a renda com bilheteria, ampliar o número de associados, formar e vender grandes jogadores, produzir ações de marketing fortes e impactantes, cortar gastos desnecessários, adquirir patrimônio, pagar dívidas entre outras coisas mais.

Quando título for considerado consequência e não objetivo estaremos enfim começando a obter a profissionalização e retornaremos ao patamar que só não estamos por culpa do amadorismo. O Grêmio tem potencial.

Verdade, é a pura verdade! Gostarias de escrever no Mania de Gremista? Aguardo contato!

Entre, siga, comente, desvende o Mania!
maniadegremista.blogspot.com

Leia e comente!

FORÇA GUERREIRO! FORÇA RICARDO GOMES!
http://maniadegremista.blogspot.com/2011/08/forca-ricardo-gomes.html

Grêmio vence Inter
http://maniadegremista.blogspot.com/2011/08/gremio-vence-o-favorito-inter-e.html

Rodrigo, podemos estudar alguma coisa, tipo isso:

http://sempreimortal.wordpress.com/2011/07/01/direto-do-gremio-unido-odione-invejone-ou-al-capone/

se tiver interesse de postar dessa forma, pode me contatar pelo e-mail do blog que a gente se acerta.

Abrass

Postar um comentário

Web Page Traffic Counters

Visitantes desde 26/11/2011