10/08/2011

MATUTANDO: Coadjuvante até nas contratações



O Grêmio dá como praticamente certo o fim do ciclo de contratações, Paulo Pelaipe já dá indícios que, devido as dificuldades do mercado, não virá mais ninguém. Mas quem veio? Sim, reservas de grandes equipes ou titulares de pequenas.

A mais vultuosa contratação foi Gilberto Silva, veterano, em fim de carreira. Fim de carreira não quer dizer que não joga mais, mas que está pronto para a aposentadoria. Joga bem, tem potencial e experiência para fazer um bom trabalho, entretanto não será um investimento para fazer elencos sólidos e longos que ganham títulos, como os do nosso rival, por exemplo.

O Internacional tem algo que falta ao Imortal nos últimos anos, elencos mantidos por várias temporadas, sem grandes alterações e sim um somatório de qualidades com contratações pontuais. No lado vermelho pode não existir um futebol bonito, mas é vitorioso, o entrosamento e a experiência dão ao time o + que qualquer equipe vencedora precisa, Gilberto Silva não será o jogador que o Tricolor precisaria para formar elencos com essas características.

Saindo da defesa e chegando ao ataque temos Miralles, o argentino que jogava no Chile apresentou menos do que esperávamos, não é titular absoluto, nem teve muito tempo para demonstrar seu futebol, está se assemelhando muito a um jogador gremista de 2009, Herrera, que chegou como promessa de gols e saiu sem a tão sonhada apresentação de encher os olhos.

Não esperávamos muito e podemos esperar cada vez menos de outra contratação do meio do ano, Marquinhos. O jogador que veio do Avaí não teve grande atuação, é limitado e fadado a reserva, uma das contratações que Renato Gaúcho chamaria de "ocupar lugar no banco".

Agora chegou mais dois, ambos do Cruzeiro, ou, para situar melhor, da reserva do Cruzeiro. Brandão e Edcarlos, um centroavante e outro zagueiro. Se pensarmos que nos desfizemos de Borges (antigo camisa 9) e Neuton (zagueiro reserva) para ficar com a dupla atual não sei onde saímos ganhando. Reserva é reserva por algum motivo, ou por má fase como era o caso de Borges, ou por não ter a qualidade necessária para ser titular.

Brandão não era protagonista do time azul de Minas, não brilhou em nenhum jogo e veio como se fosse melhor do que o antigo camisa 9 para o Grêmio. Edcarlos mofava na reserva mineira, entrou inclusive em um jogo pela Libertadores de 2009 contra o Imortal, na discussão que acabou na delegacia com Maxi López, na época ainda comentei, não sabe jogar então fica inventando atrito para desestabilizar o jogo em momento de superioridade gremista.

Assim termina um ciclo de contratações do Grêmio, sem grandes jogadores e com um elenco que pode muito, mas faz pouco. Celso Roth poderá arrumar a casa, a mesma casa e um dia irá, inevitavelmente, bagunçar, é da sua natureza. Não dá para esperar grande coisa do que veio, pelo menos o banco de reservas terá mais opções do que antes.

1 comentários:

excelente blog, continue sempre atualizando
saudações tricolores

por adm anti inter

Postar um comentário

Web Page Traffic Counters

Visitantes desde 26/11/2011